sábado, 25 de dezembro de 2010

This sickness has no cure ♪

E por mais que os fantasmas tentem me assombrar, meu passado nunca irá me derrotar.
O Natal não me agrada mais sem o meu exemplo, mas pode melhorar, mas essas lembranças nunca serão apagadas. Quero continuar construindo minha história, ver minha família, e aproveitar cada segundo. Com vida ou sem vida, quem se foi eu sei que está aqui comigo. Eu posso sentir a presença, e também posso sentir a alegria do presente. Por que não? Afinal, o nosso sorriso era o seu oxigênio.
E acredite ou não, eu continuo respirando. E esse ano um presente de Natal, que eu espero que dure, e cresça.. Ou dure o quanto puder.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Heartbeats

E ainda faltavam cinco minutos, ou mais. As batidas do coração aceleravam feito algo fora de controle. E o que ela podia fazer? Respirar fundo, e seguir. Afinal, seria tão difícil  tornar realidade o que esperou dentro de tantas semanas? Na verdade semanas tão longas, que juntas formavam um mês e alguns dias. Nada fora do normal, ou sim. Até porque essas coisas ficam marcadas nela, a mesma que se acha idiota. Chegou a hora, vamos lá, menina! Corra ao ponto de encontro, esqueça suas dores passadas e suas palavras perdidas. E assim foi, com se estivesse correndo atrás do vento. Algo de diferente aquele dia expressava, fazia tanto tempo que ela não sentia tudo isso... stop. Medo. Hey garota, você vai deixar isso realmente te atacar? E onde está sua força de vontade? Aprenda de uma vez por todas que o medo é o alicerce da covardia. E assim foi, até que suas pernas travassem, e o mundo parasse. Vá, corra. Algo não a deixava andar, algo não a deixava respirar calmamente.  O que aconteceu? Nem ela mesmo sabe. Segundos depois sua pura covardia se transformou novamente na coragem, e foi. Digamos que foram um dos melhores minutos de dezembro. E parecia que ela já o conhecia há tanto tempo... sem ao menos tem certeza de nada. Andou, riu, corou... e está continuando, onde quer que os caminhos a levem.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Imagino você, mas eu não te vejo.

E isso chega a ser tosco. Pensar, pensar, imaginar como deve ser... e a realidade, como fica?! Sufoco alguns pensamentos, pois em minha cabeça é tua morada. Sinto um vazio de pensamentos, ou excesso deles. A verdade é que tem horas em que isso desaparece, e você sabe muito bem em que horas são essas. às vezes eu só quero dormir, e às vezes não quero sequer fechar os olhos. Tenho medo, e isso é um defeito. Tenho medo, e isso é uma qualidade, uma armadura para não me ferir. Só cansei de ouvir pessoas que não tem nada a dizer, e cansei de tentar confiar nessas tais pessoas. O medo sempre vai estar presente, e eu repito isso quantas vezes forem necessárias. Que seja lá o que for o significado disso tudo, só sei que queria que tudo desse certo. Há muitos contras, mas também há pós. E do que estou falando? Apenas de um sentimento inútil, que prevejo que será assim como já aconteceu tantas outras vezes. Vamos esquecer, ou apenas não lembrar? A verdade é que às vezes não queria ter olhos, ouvido, nem boca. Não leria, não veria, não ouviria e não falaria. Mais fácil? Não, mas evitaria muitas coisas. Escrava do silêncio me tornei, e não venha me perguntar o por quê. E quando a noite chega, e eu vejo alguém semelhante, algo estranho acontece e não consigo explicar como isso tudo me traz desespero. Duas pessoas estranhas, e eu também sou estranha. O mundo é, e eu não sei como lidar com tudo isso. Estou cansada de estar aqui... e não ter muito a dizer!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

E é isso o que sempre vai sobrar no fim da noite. Pés machucados, pernas doloridas, tímpanos surdos e neurônios entorpecidos por qualquer substância que dê prazer. Ou que traga dor depois, eu sei. Tento me enganar, e consigo. Ludibriar minha mente, ludibriar amigos, ludibriar garotos... sempre. Dor com dor se paga. E a noite toda passou, os olhos só puderam ver luzes sem sentido, a boca sentiu lábios estranhos, e as mãos e o corpo tentaram encontrar algo familiar. É claro que isso nunca iria acontecer, pois me acostumei a não sentir as pessoas de verdade. Tento me recordar de quanto tempo eu não abandono essa zaragata para pensar em meu velho romance, e logo tenho respostas. As respostas estão em meus olhos, a resposta está na ausência de palavras escritas. Há quanto tempo eu não penso, mesmo? Alguns meses, talvez. Ou anos, épocas em que eu não vivi. Saudade de um tempo em que eu poderia ser uma pessoa melhor, uma pessoa que não levasse dor à ninguém. A verdade pura, nua e crua é que eu virei escrava da minha dor, e ninguém pode me salvar. Eu sou o monstro que eu criei.

domingo, 10 de outubro de 2010

décimo dia do mês.

estranho. acordei e não sinto nada, eu só quero falar.  Pedir o que não posso, lutar pelo que apenas desejo. Direitos, e são justos... quero reconhecimento. Faço, e de nada adianta. O céu continua cinza, e parece que eu não tentei mudá-lo. Eu não decepcioná-los, só entendam que eu sou assim. Tentem entender as minhas necessidades, já que me sinto tão vazia e só essas pessoas podem me preencher. Eu culpo eu mesma por essa solidão, mas vocês também fazem parte. Eu nunca vou saber na verdade de quem é a culpa, só não quero me julgar importante. E a certeza feliz de que me amam, se torna excessiva às vezes, e querem me isolar do mundo. Deixem-me ver o mundo, por favor. Já que você, minha criadora diz que o mundo não é feito de flores... mas como é que eu vou saber?  Eu nunca vou saber, pois hoje vocês tem um pretexto, e amanhã arrumarão outro. Vocês já sabiam que um dia eu iria ser maior, ter vontades de uma garota, os sonhos de uma garota, as necessidades de uma. Crescer, vocês temiam, eu sei. Mas é inevitável, e eu acho que deveriam respeitar isso. Não acho, tenho certeza. Não me largar ao mundo, mas entender... como eu acho que nunca tentaram. É uma responsabilidade muito grande, eu sei. Mas esse amor sinto que está sendo desviado, e essa "preocupação" é superficial. Sabe por que? Porque minhas fotos não ocupam mais os quadros, porque não há mais diálogos. Não existe mais conversa, e só se fala na parte financeira. Alguém já me perguntou se estou bem? Essa preocupação deveria ser recíproca, eu estou cansada de fazer a minha parte e ninguém colaborar. eu só quero imaginar que esse amor nunca diminuiu, e que tudo isso vai melhorar daqui pra frente. Me sinto sufocada, mas pior que a sufocação é o medo, porque sei que qualquer coisa pode me atingir.

Quero minha vida de volta. Ou melhor, quero uma vida, a qual eu um dia tive, mas é necessário reestruturá-la.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ver tudo.

E ver tudo, não poder cegar o mundo. E ela sabia que assim seria, desde que acordou naquele dia de verão. Começou a plantar coisas boas, para colhê-las melhor ainda, mas nada adiantou. E ela sabia que em pouco tempo poderia ser esquecida, sim, ela sabia! Há muitos meses, quando o sol ainda brilhava sem suas lágrimas, ela conseguia ver futuro onde não existia. Alegria onde não cabia. E ela sabia que aquele papel seria esquecido. Ela sabia que não dava mais pra ser amigo. Ela sabia de tudo... quase tudo! Ela só não sabia que poderia pensar tanto, e querer tanto uma coisa que não estava à seu alcance. Ela só não sabia que aquela ferida e aquelas lembranças daquele lugar vazio e agitado ao mesmo tempo lhe traria tanta vontade de voltar no tempo e viver aquela tarde outra vez. Ela só não sabia que a grama que lhe sustentava um dia pooderia não estar mais lá, e assim sujar suas roupas ;
e parando de se tratar do ELA, assumo meu pronome, e uso EU. Eu gostaria de saber o que acontecesse com você.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

23:15 p.m.

e o coração bateu mais forte, o pulso está fora de controle. O cérebro? Tentando funcionar, e não sabe como proceder. Talvez dentro de alguns minutos isso tudo volte ao normal, mas não agora. E já se passaram 6 minutos, e ainda continuo trêmula. Quantas inseguranças, meu Deus!

- eu odeio quando vc desaparece .


eu também odeio, eu confesso. eu queria que esse caso fosse resolvido, ou então eu mudaria.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

medos infantis;

Diante das mais tradicionais crônicas, histórias e contos de fada estou. Monstros, fadas, gnomos, elfos, madrastas, irmãs, ursos, mingau, capas, maçãs envenenadas, fósforos, meninas, lobo, sapatinhos, príncipes encantados, e migalhas. Quem é quem? Eu nunca sei. Todos esses  seres animados e inanimados estão presentes, mas mascarados. Socorro, aqui temos uma emergência! Fada? Oi, quer conversar? Lobo! Vamos fazer algo insano? Fórforos! Quero te ajudar.. Gnomos! Gostaria de lhe servir esse prato, senhorita.. Elfos! Posso tentar preencher esse vazio? Madrasta! Sou assim como você. Meninas! Poderia matar sua fome, ou estigá-la.. Migalhas! Quer ir pelo caminho mais curto? Gostaria de provar nosso novo produto? Maçã envenenada! Entre outros casos. Quem diria que eu enfrentaria esses tantos problemas? Logo eu, que já presenciei tantas coisas, segurei tão firme. Me lembro da noite em que eu sonhei que era devorada pelo cachorro do meu tio, e meu pai me protegeu. me abraçou bem forte e disse: "Minha querida, feche os olhos e durma. Ninguém no mundo vai te machucar, porque você tem a mim!" .
e eu creio que essa promessa sempre foi a mais duradoura. sinto-me segura ao seu lado, meu herói. <3

sexta-feira, 9 de julho de 2010

insegurança.

Isolar-me do mundo seria realmente a solução? A busca de remédios e curas para tantas incertezas e fatos passado fazem perder-me em pensamentos. As vozes me abandonaram, a terra deixou de existir. Duas certezas? Eu e meus pensamentos. Oh, quanto tempo eu esperei por alguém como você, e agora que você apareceu, eu simplesmente não sei o que fazer :/ eu só não devo ficar parada, eu sei.. mas existem tantas pessoas melhores do que eu :/
Desistir sempre foi o que eu julguei como 'a melhor saída', mas esse SEMPRE deixa de existir à partir de hoje, porque pude ver que às vezes amar não basta!
eu quero, e eu vou conseguir! <3

terça-feira, 6 de julho de 2010

a decisão.

se todas as vezes em que meu mundo pareceu perder todas as cores, eu desistisse, eu não mais viveria. e se à cada queda eu me entregasse aos calabouços, não mais aqui eu estaria. o problema está na batalha para conquistar, e quando consigo o que quero, não sei o que fazer. é, eu estou com o ''queijo e a faca'' na mão. o problema é tomar um decisão, e saber a velocidade correta.. já que cronometrar ações para mim é uma tarefa quase impossível. eu só sei que é preciso manter a calma, mas nessas alturas essa palavra eu desconheço.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

não;

Quero negar, me recuso à ver. E o que prevalece em mim, são as dúvidas intermináveis, e medos incessantes. Acabar com esse sufoco, e essas palavras sumirem.. para fora de mim, para dentro de sua mente. realmente entender o que eu quero dizer, responder o que eu perguntar. Fazer isso tudo acontecer, não me importo..
Fechar os olhos, e quando abrir, você estar aqui do meu lado, sorrindo. Sim, como sempre quis. Eu não sei como é isso, eu nunca soube.. dessa vez eu estou descobrindo como é realmente não conseguir ficar distante de outrém. Anseios, grandes anseios. Medo, companheiro dos aflitos. Saber como é sentir isso, e dessa vez pior ainda. Se torna pior por não ter certeza, se torna pior pelo meu passado. Como uma folha, que em um piscar de olhos somem. Como uma pedra preciosa, que pode ser roubada. Como um avanço tecnológico.. pode ser substituído. Queria poder te dizer, olhar nos teus olhos sem estremecer.. mas penso que talvez seja impossível, pois perto de você eu perco o ar. Vou fechar os olhos.. 1,2 ,3! Quando eu abrir, quero você do meu lado.

1
2
3

Você está aqui?

sexta-feira, 11 de junho de 2010

;

Algo inesperado hoje aconteceu.. aquele frio que eu nunca mais senti, reapareceu. As árvores pareciam calmas,e agitadas ao mesmo tempo.. cada movimento parecia ser um sinal. Tudo parecia estar bem, e nenhuma preocupação desnecessária existia.. não mais. Me senti sensacionalmente feliz, uma alegria que me invadia..
tanto tempo sem sentir todas essas sensações, mil pensamentos, mil palavras embaralhadas para proferir.. tantos risos sufocados, e eu posso colocá-los para fora e ter um dia diferente. a temperatura e o clima se misturam, e já não sabia se era o frio ou se era a ansiedade, o medo, a curiosidade, a saudade, ou o simples fato de estar próxima à você.
eu só sei que não quero acordar desse sonho, e que se for pra acordar.. que vire realidade.

domingo, 23 de maio de 2010

Confusão.

Tudo de cabeça pra baixo, móveis, lágrimas, gritos e risos.. todos caindo. Sua voz que nem conheço, seu olhar que não me segue.. e uma única dúvida: Quando é que vou te encontrar? :(

quarta-feira, 19 de maio de 2010

eu já não sei o que fazer; dias estranhos, parece que o mundo conspira contra mim. eu quero uma mundança, mas está sendo impossível.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

São estranhas situações em que sinto que sou composta por medos. Eu já tentei procurar explicações, mas simplesmente isso acontece. Não tem um porquê, só posso entender que isso tem que acontecer. Palavras esquecidas de serem ditas, coisas deixadas para trás... são coisas tão normais. Normais demais para causarem tanto sofrimento, tantas dúvidas. É só tentar imaginar como teria sido, se tivessem sido proferidas as tais palavras. Diferente? Talvez, ou com certeza não. O problema, ou podemos encarar como fato, é que se tivéssemos oportunidade de fazer tudo de novo, talvez pouca coisa mudasse, ou então poderia ser pior. Quem sabe? Já passou, é verdade. E nos dias de chuva, quando eu observo todas aquelas gotas caindo e indo embora, eu imagino você: se foi do mesmo jeito que chegou.. de repente. Pode voltar depois, mas nunca vai ser o mesmo. Posso conhecer milhões de pessoas com seus aspectos físicos,  mas saiba que nenhuma se compara à você. Algo que te consome, que não te deixa voltar a ser, algo que te conhece o bastante, alguém que te prende, e eu que te soltei demais. Voou, foi embora. E agora? Não é tão simples como o que você me disse, não é tão insignificante como sou pra você. Eu só queria entender, mas eu já desisti.Desisti de compreender, mas não de você. Quem sabe um dia? Nem todas as lágrimas do mundo farão você voltar, nem você mudar. Chorar é supérfulo, é infantil. A verdade sempre esteve bem abaixo dos meus olhos, e eu nunca vi. E agora você pode estar se culpando, ou apenas com dó. Odeio essa maneira de agir, odeio quando você me lembra o quanto é importante pra mim. Eu errei também, eu sei. Mas o que seria de mim sem as lembranças? Pelo menos tive você por um dia, quase dois. Metade do dia, soube da notícia. O fim é o recomeço, eu sei. Mas e se o nosso recomeço estiver todo incorreto? Vai ser difícil reconstruir tudo de novo. Eu já cansei de negar esse meu querer, eu já cansei de estar esquecida. Tento estar sempre presente, mas o silêncio está me consumindo, e a cada dia que passo só vejo você mais forte, como se o mundo girasse em torno de você. Eu sei que já tentei te procurar em outras pessoas, mas nunca encontrei. Esse sentimento me corroe já fazem 6 meses. Metade de um ano pensando em possíveis sentimentos, possíveis momentos. Estou em ruínas, e meus sentimentos estão quase acabando. Sim, meus sentimentos por mim mesma, pois quando olho no espelho, eu me odeio, eu me odeio. Você me dava segurança, dizia pra mim não ter medo de errar, me dava coragem. Eu era tão segura quando sabia que poderia ter você, mas agora não. A segurança acabou, o medo me consumiu, e agora vivo com medo de errar. Errar com você, errar sem você.. agora tanto faz!

Falar de amor.

Ultimamente tenho pensado demais em você, pensado em muitas possibilidades. Ter a certeza de um possível caminho feliz, seria um conforto.. SERIA, mas não é, pois não tenho certeza nenhuma, nem sinal algum!
Eu juro que tentei, mas agora é minha hora de parar e refletir.. tudo isso realmente valeu a pena? Por vezes penso que sim, por vezes não. Nem sempre é fácil aceitar e conviver com a dor. Eu confesso que em muitas ocasiões eu quis fugir, eu quis tentar esquecer de tudo o que eu sentia, tudo que eu tentava realizar.. mas era sempre em vão, pois sabia que nada além do tempo poderia me salvar daquela situação interminável. Agora posso ver que isso é inalcançável, que o problema não era eu, nem era você. Nascemos no tempo certo, mas nos conhecemos do modo incorreto, e isso posso ver com clareza. Nada dura para sempre, porque o pra sempre nunca existiu. Não existe nada tão duradouro quanto um pensamento, quanto uma lembrança. Se for amor, não vou esquecer. Se for tristeza, alguém vai curar. Se for o tempo? Longas voltas! Adeus.

sábado, 24 de abril de 2010

Pode ser assim ♪♫


eu queria esquecer, ou apenas não mais lembrar. Um dia eu quis ir embora,e nunca mais voltar.. mas quando pensei que não a saudade me deixou falhar . o tempo está passando e eu estou vendo pouca coisa mudar, diferente do que as minhas expectativas tentavam me convencer. Já se passaram vários meses.. fazem 7 meses desde tudo, e só mudou pra pior. não vai mudar, agora eu tenho certeza. As minhas esperanças definitivamente acabaram-se, como o amor que eu sentia. simples cadeiras quebradas, ou palavras cuspidas não adiantam nada, não vai mudar o que um dia foi nosso. mas nada é pra sempre.. e hoje eu vejo muitas coisas, inclusive suas mentiras. como pôde me deixar assim? apesar de ser fácil pra você. Mas pra mim não foi, não é.. mas não parei, o mundo não parou. não tem mais graça COM você ;

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Aparências

Uma composição minha.

Aparências - Gray.

É estranho como tudo muda a cada segundo
Sinto mais um coração bater, ou isso é psicológico?
Eu não sei o que posso sentir,
Eu só sei que é muito real

Não dá mais, estou perdendo o controle
Não posso ignorar esse meu estado
Há algo dentro de mim,
Que nunca me deixou desistir

E tantas vezes eu tentei deixar..
Deixar o tempo te apagar
Mas parece que essas marcas são profundas demais
E difícieis de serem ignoradas

Quando tudo parecia estar bem
Quando não parecia ter mais ninguém
Além de você, além de você...
Agora não posso mais, agora não vou mais

Deixar de existir e perder
Deixar, desistir e esquecer
O que fazer?
Eu não sei, eu não sei
Faça o melhor que puder.. desaparecer.

<3

sábado, 17 de abril de 2010

Longe.

são tantas dúvidas,expectativas e deciões a tomar. Sinto como se estivesse em cárcere privado, ou então em um quarto branco de um manicomico. São tão estranhas sensações, loucuras, gritos à flor da pele. Histeria à beira da morte, cobranças sem fim. Quando não tenho nada, parece que perdi tudo.. ou então o contrário. uma canção rabiscada, um corpo estirado, ou alguém muito doente. Alguns neurônios mortos aqui, outros alí. Isso não significa nada, porque o mais importante é se dopar. Dores intermináveis, escândalos, gritos de socorro. Clamando o mais forte que pode, querendo o que ninguém no mundo nunca teve. A paz. Sim, eu sei que você quer a paz. Mas está tudo morto, que só resta o silêncio.. e o que eram os barulhos intermináveis e de intensa euforia, agora são apenas suspiros, lágrimas e sangue. Minha alma já me abandonou, não sei porque ainda estou aqui.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sua carência, minha ruína.

Como soa o som que eu insisto em escutar, o som que me traz recordações, lembranças de você  ' sua carência, minha ruína ' ♪♫
sim, quando você necessita de apoio, eu estou lá. Quando precisa de carinho, tento fazer o que posso. E quando chora? sou tuas lágrimas. mas o que posso fazer se quando te apoio, eu me prejudico? isso não é mútuo.. como deveria ser. às vezes soa estranho, às vezes lembra pranto. é anormal e irreal, pelo menos nos meus sonhos. Tensões atacam minha gargante, amedrontam meu olhar, e meus pulsos.. quase não mais identificáveis. É demasiado cansativo lutar contra tudo isso, lutar contra algo/alguém que eu sei que é invencível. Mas eu tento, pra derrota ser menor, pois no fim, eu terei a dignidade de dizer: '' Eu tentei! "
ah, como eu queria te fazer enxergar o que eu sinto, e muito mais! Mas você se nega a ver. Eu sinto sua falta, e confesso que preciso de você. Volta? Se é que um dia veio..

sábado, 3 de abril de 2010

eu nunca senti tanta falta de alguém. eu nunca me senti tão perdida. eu nunca me senti assim.. eu nunca fui eu mesma! o amor não é a única coisa da vida, assim como não é o único sentimento que traz desgosto. Algumas coisas não se encaixam mais, e algumas coisas que já passaram não tem importancia. O valor é aplicado às coisas e pessoas que não tem valor algum, e acabamos discriminando o desconhecido. Podemos nos enganar.. eu nunca me senti tão perdida, estou perto de pessoas que eu pensava conhecer. no fundo tão estranhas, assim como essa sua presença nesses ultimos dias. Não faz sentido sem você, mas com você faz menos ainda!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

e a cada dia fica difícil não imaginar como poderia estar agora, com você. ao ouvir essa música, eu me lembro do meu desespero quando soube que te perdi, era como se nada fosse continuar. era como se tudo tivesse acabado naquele momento, e só a dor tivesse restado. parte disso é verdade, só a dor me restou.. mas o mundo ainda gira, você ainda sorri e eu ainda te amo. como se nada mais importasse do que esse fim, do que esse desejo de te ter a cada dia mais, como se nada fosse mais importante do que te fazer feliz. você está feliz, só não me conformo porque não está feliz comigo. eu queria ter tudo o que você precisa, mas ter tudo não basta. se bastasse, tudo que tenho seria pouco demais, comparado ao o que você merece. nunca foi fácil aceitar esse começo do fim.o fim ainda continua, o fim ainda dói. meu pensamento às vezes foge, e me leva até você. e eu que pensei um dia poder esquecer.. Danilo, por que você está em mim, e eu não estou em você? :(

terça-feira, 30 de março de 2010

São estranhas situações em que sinto que sou composta por medos. Eu já tentei procurar explicações, mas simplesmente isso acontece. Não tem um porquê, só posso entender que isso tem que acontecer. Palavras esquecidas de serem ditas, coisas deixadas para trás... são coisas tão normais. Normais demais para causarem tanto sofrimento, tantas dúvidas. É só tentar imaginar como teria sido, se tivessem sido proferidas as tais palavras. Diferente? Talvez, ou com certeza não. O problema, ou podemos encarar como fato, é que se tivéssemos oportunidade de fazer tudo de novo, talvez pouca coisa mudasse, ou então poderia ser pior. Quem sabe? Já passou, é verdade. E nos dias de chuva, quando eu observo todas aquelas gotas caindo e indo embora, eu imagino você: se foi do mesmo jeito que chegou.. de repente. Pode voltar depois, mas nunca vai ser o mesmo. Posso conhecer milhões de pessoas com seus aspectos físicos,  mas saiba que nenhuma se compara à você. Algo que te consome, que não te deixa voltar a ser, algo que te conhece o bastante, alguém que te prende, e eu que te soltei demais. Voou, foi embora. E agora? Não é tão simples como o que você me disse, não é tão insignificante como sou pra você. Eu só queria entender, mas eu já desisti.Desisti de compreender, mas não de você. Quem sabe um dia? Nem todas as lágrimas do mundo farão você voltar, nem você mudar. Chorar é supérfulo, é infantil. A verdade sempre esteve bem abaixo dos meus olhos, e eu nunca vi. E agora você pode estar se culpando, ou apenas com dó. Odeio essa maneira de agir, odeio quando você me lembra o quanto é importante pra mim. Eu errei também, eu sei. Mas o que seria de mim sem as lembranças? Pelo menos tive você por um dia, quase dois. Metade do dia, soube da notícia. O fim é o recomeço, eu sei. Mas e se o nosso recomeço estiver todo incorreto? Vai ser difícil reconstruir tudo de novo. Eu já cansei de negar esse meu querer, eu já cansei de estar esquecida. Tento estar sempre presente, mas o silêncio está me consumindo, e a cada dia que passo só vejo você mais forte, como se o mundo girasse em torno de você. Eu sei que já tentei te procurar em outras pessoas, mas nunca encontrei. Esse sentimento me corroe já fazem 6 meses. Metade de um ano pensando em possíveis sentimentos, possíveis momentos. Estou em ruínas, e meus sentimentos estão quase acabando. Sim, meus sentimentos por mim mesma, pois quando olho no espelho, eu me odeio, eu me odeio. Você me dava segurança, dizia pra mim não ter medo de errar, me dava coragem. Eu era tão segura quando sabia que poderia ter você, mas agora não. A segurança acabou, o medo me consumiu, e agora vivo com medo de errar. Errar com você, errar sem você.. agora tanto faz!

domingo, 28 de março de 2010

Sem volta, sem saída.

eu sei que esse caminho não tem volta e não tem fim, e sei que estou longe de te alcançar. como eu, sei que você sente vontade de fugir de tudo, fugir do mundo e ficar só com as lembranças.. como você me disse um dia, ter memória é não ter paz. hoje eu sei o significado dessa frase, e de muitas que você me dizia. essa dor deve rasgar você, e eu sei disso. atrás do seu rosto, existe uma expressão dolorosa, e sei que você daria tudo pra ter sua vida 'normal' de volta. eu queria tomar sua dor, e fazer tudo ficar bem. apesar de todas as coisas que você me fez, eu sei que dentro de você ainda existe a pessoa que um dia eu conheci, e sei que se você pudesse consertar, consertaria todos os erros. mas vamos ser realistas, e pensar no possível. o que é o possível? correr em um dia de chuva, ou vir conversar comigo. sim, não, talvez. passe por cima do seu orgulho, e tente não errar mais ainda. Nunca é tarde demais.. Nunca é tarde demais quando você gosta de uma pessoa, e sente demais pra deixa-la ir embora. uma vez eu te disse que iria embora da sua vida, mas eu nunca fui, eu sempre estive aqui... e ainda estou, como no dia 15 de agosto de 2008. estou mais presente do que você imagina, e ainda sinto alguma coisa que não me deixa partir. algo que me diz que você precisa de mim. às vezes as lembranças do que um dia foi bom me sufocam, e eu não aguento mais ficar presa nisso tudo. Isso não tem volta, não tem saída.. e minha vontade como sempre foi, é de correr para um lugar em que não existe nada, além de você . <3

segunda-feira, 22 de março de 2010

Abismo.

Como diz Ana Carolina ... me vejo andar no ar, lá no abismo lindo no seu olhar ♪♫
Como é que eu posso ignorar um olhar tão profundo, onde eu me perco ao observar? não sei, não sei. Terrível dilema, fico perdida, me sinto como um jazido... esquecida, fria e solitária. e essa vontade incontrolável de te ver, de te abraçar? mas é difícil entender o porque quando sonho com você tenho vontade de fugir. é complicado, é surreal. tenho medo de tudo isso não ser normal.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

relutar.

mesmo sabendo que nada poderá voltar a ser como antes, e que as responsabilidades crescem a cada dia mais, eu queria ser criança de novo, e me livrar de todas essas tensões. estou cansada, os barulhos me irritam, as pessoas me entediam e a única coisa que posso compreender é como você desistiu de viver. estou cansada, mas sei que preciso relutar. relutar contra sentimentos, contra o cansaço, contra o sono, e contra a vontade de não lutar. preciso relutar pela minha dignidade, pela minha paz. não posso deixar minha vida ir embora do jeito que está indo, sem eu ao menos ver o pôr-do-sol.
Preciso lutar. Se meu coração parar de bater, eu sei que eu aproveitei pelo menos o meu verão. Você veio pra ficar... se fosse apenas um amor de verão, você já teria ido embora <3

sábado, 20 de fevereiro de 2010

é como querer me livrar de tudo isso e não conseguir.é como se tudo isso fosse impossível de ser apagado, e em um momento eu paro e fecho os olhos e tudo se passa como um filme em minha cabeça. O que será do amanhã? te ver sorrindo nos braços de outra pessoa, e ver que está sendo enganado e saber que não posso fazer absolutamente nada pra te defender? É, realmente não posso. Você escolhe seus caminhos. A única coisa que realmente fazer é tentar te empurrar para fora da minha vida. Mas a fraqueza é tanta, é tanta...
E o que fazer nesse momento em que eu perco o controle e falo o que quero? Não sei o que será de mim amanhã. mascarar sentimentos realmente é a solução? eu não quero que sejamos apenas amigos. essa mentira toda já me cansou. Mas é que essa fraqueza é tão forte, que eu realmente não consigo fazer nada além de escrever esses tantos textos que você nunca vai ler.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Liberdade.

Liberdade pra escolher. Poder ver e crer, poder investir e conseguir, poder entender e valorizar. É querer estar bem, estar assim como estou agora. Olhar pro céu, e se sentir feliz. Meus olhos acumulam lágrimas, mas são lágrimas de felicidade. Saber que eu posso ser feliz com o que eu tenho,e nunca mais depender do amor de outra pessoa que não seja eu mesma. Eu posso dizer com toda a certeza, e sem cair em contradição que eu estou de bem comigo mesma, e aprendo a cada dia. Levei um tombo? Oh, obrigado. Estou aprendendo a suportar a dor. Fui reprovada? Posso ser melhor na próxima. Você não me dará uma próxima chance? Eu darei a mim mesma. Leve como um pássaro eu desejei voar hoje, voar pra bem longe daqui e tocar as nuvens, ou então tocar as estrelas. Jamais quero uma estrela perto de mim, eu a quero no céu, aonde é seu lugar.. assim como não quero sair daqui. Nada substitui a liberdade da escolha, a liberdade do pensamento, a liberdade da expressão, a liberdade do sentimento. Sou livre. E como disse alguém .. Não posso te prender, pois te ensinei a libertar.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Help us.

Esse mundo não poderia ser normal,não? As desculpas poderiam ser aceitas,assim como os relacionamentos não acabariam, as brigas fossem apenas por não ter dito 'eu te amo' ao desligar o telefone, e a traição não existiria no dicionário. Acredito que não existe felicidade, e sim momentos felizes. Assim como não existe eternidade, e sim a união duradoura de pensamentos, lembranças e sentimentos. Seria bem mais fácil falar mais do que pensar, agir mais do que escrever, sorrir mais do que chorar, amar mais do que brigar .. tudo isso se não fôssemos tão egoístas. Nunca pensamos no outro sem antes pensar em nós. O 'eu' importa mais do que qualquer coisa com mais de 2. Poderia ser mais fácil se não olhássemos somente para o nosso próprio umbigo, e então olhar ao redor,e ver que abaixo de tudo isso existem pés descalços, marcas de dor e corpos estirados. Você consegue ver isso? Não, você não vê. Sabe o por que? Se não sabe,irei te dizer. Enquanto eu,você e todos nós não olharmos pra nada além da nossa imagem decadente no espelho, da nossa silhueta na sombra, e pararmos de nos importar se o nosso cabelo e nossas roupas estão adequadas, ou então, pararmos pra pensar em quantas vidas acabam a cada dia,poderemos então compreender o que é um pedido de ajuda sem resposta. O que é ver pessoas precisando da sua mão,ou apenas do seu olhar e você passar despercebido,fingir que nada está acontecendo. Sim,está acontecendo muita coisa, mas você não consegue ver. Problemas o mundo tem pra distribuir, só cabe à você querer compartilhar um pouco do seu tempo tentando ajudar, ou então perder minutos/horas do seu dia tentando mudar coisas em seu rosto que são impossíveis. Tem algo errado com você? Tem sim. O problema não vem da sua alimentação, do seu sedentarismo. Tente melhorar as coisas das quais você suspeita que esteja prejudicando sua beleza, e veja se resolve totalmente e se você fica totalmente satisfeito. Não,nunca vai ficar satisfeito. O problema está dentro de você. Precisamos de ajuda. Enquanto essa ajuda não vem, nos resta viver como sempre vivemos.                    

domingo, 7 de fevereiro de 2010

O gelo.

era pra eu estar feliz? com todas as coisas que você fez,com todas as coisas que você disse.. você disse que estaria do meu lado,e agora foi para o outro lado.eu não tenho muito o que dizer,acho que essas feridas mostram bem o que eu poderia muito bem te fazer entender.  me enganei,mais uma vez. dessa vez foi com uma pessoa falsa,que dizia estar do meu lado. amiga? amiga de cú,é rola ;)

sábado, 30 de janeiro de 2010

O choro é constante. Manchas em minhas mãos mostram a falta da crença. E eu sei que hoje à noite o seu maior desejo era me deixar para baixo. é tão diferente a maneira que você age,é tão diferente a maneira como você é agora. chega a ser assustador,eu tenho medo agora. antes eu queria ficar por perto,mas hoje você provou tudo o que eu já deveria saber há muito tempo. uma troca de olhares,uma transmissão de ódio,uma transfusão de mágoas. eu não sei descrever o que senti quando te vi depois de todo esse tempo,mas sei muito bem descrever a minha agonia. eu queria poder mudar tudo isso,acredite. sentimentos são mutáveis, e acabo de descobrir que você também é mutável. sentimentos que jamais poderão ser apagados.. assim como o rancor. Se era tudo tão falso,por que não tentou se livrar de tudo isso e poupar uma pessoa de sentir ódio de você mais tarde? é demasiado tarde para questionar. é demasiado tarde pra você querer se explicar. te ver assim,foi a pior coisa pra mim. nunca mais conseguiu ficar sóbrio,nunca mais quis falar sério. aonde está o garoto acanhado,de poucos ( mais valiosos ) amigos? de repente vira uma espécie de revista: todos tem acesso. você mudou,não sei mais o que se passa na sua cabeça,mas eu queria fazer um pedido: não quero que acabe assim como estava hoje. não somos estranhos,um dia a nossa história existiu,mesmo você não querendo assumir. tudo um dia tem um fim,e não poderíamos levar isso pra sempre,eu sei. mas o que custava tentar recomeçar? dizia que era medo de me perder..então não tentamos. me perdeu do mesmo jeito,e sinto dizer que agora é tarde. eu não sei nem por onde começar,como reconstruir tudo que eu perdi. eu não tive sorte dessa vez,como em todas as outras. é tão diferente do que você me dizia que seria,é tão cruel,é tão real,é tão banal. eu não sei como continuar,como superar,como te dizer que eu finalmente estou bem. eu lembro de você constantemente,e eu realmente queria que isso não acabasse assim. Acabou.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Um monstro que não é.


Medo. estou com medo. medo das reações e dos resultados. eu estou tentando me manter longe de tudo que me lembra a vida que eu levava,a vida que eu me entregava por inteira à você. teve dias que eu sacrifiquei meus horários apenas para conversarmos. e não é que todas as minhas desconfianças tem fundamento? vocês irão estar juntos no mesmo lugar em que só era eu e você. me apaixonar talvez não tenha sido o erro,e sim ter me deixado levar. Os problemas não são apenas esses. E o resto do mundo,como está? Essas chuvas devastadoras,famílias sem abrigo,desesperadas. Eu tenho medo do mundo,tenho medo do peso do mundo.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Stop


É bem difícil pra todos aceitarem coisas desse tipo. Separações acontecem,e temos que nos acostumar. A vida é repleta de separações,e elas nunca acabam. Não chorar não é sinônimo de força,e sim de medo. Medo de alguém ver suas lágrimas e te achar um fraco. Eu sempre optei por ser fraca. Ser forte nunca foi meu forte,e acho que não será. Eu digo ser fraca na questão da demonstração de sentimentos. Eu demonstro,e acho que esse é o meu erro. À partir de agora eu vou me libertar,e vou tentar me desprender das lembranças. Agora não,ainda é cedo pra entender. Eu vou passar por cima de tudo isso,nem que na curva eu derrape. Vou ter calma,vou ficar tranquila. Cada um tem o que merece,então,acho que podemos pensar um pouco positivo e sermos um pouco melhores. Vamos começar por você : cuspa palavras e engula minhas opniões. Vai ter que aceitar minhas críticas e decisões...aliás,quem é que sempre esteve no controle das emoções? Quem sentia mais era eu,não era? Agora eu vou continuar como sempre foi. Vou sentir mais... Nada de amor,não! Vou começar a sentir mais desprezo. É disso que o ser humano precisa.. desprezo. Ou então te tratar indiferentemente. Eu sei que isso te mata. De maneira alguma quero vingança,eu quero apenas me distanciar. Eu estou louca pra ficar em paz,eu estou louca pra voltar ao meu normal. Recomeçando pelos erros cometidos: quero consertar os que estiverem ao meu alcance. Um sentimento foi jogado fora,e um coração foi partido. Como vou consertar,eu não sei. Eu sei que esse sentimento que deveria ser encaminhado à esse pobre coração,eu entreguei em suas mãos naquela noite,e me deixei levar à outro mundo pelo seu abraço. Você pensa que é fácil. Ela era o melhor pra você depois,não é mesmo? Sim,ela era boa pra você. Cada um tem o que merece,meu caro. Pensei que você não merecesse ela,mas acho que merecia coisa pior. Não tenho dó. Passei a não ter dó a partir do momento que você resolveu pensar apenas em si mesmo,e esquecer de mim e de todos que estão à sua volta. Se ame,se adore,se divirta. Sozinho. Não vou estar mais ao seu lado,e dessa vez estou decidida. Você nunca viu que o seu lugar era comigo,então quando começou a sofrer partiu para a rebeldia. Com isso você só vai sofrendo mais e mais. Eu prefiro chorar em seu lugar,do que ver você sofrendo. Eu sei que está pelas ruas se divertindo,mas quando as pessoas saem de perto de você,você se sente sozinho. Assim como eu me senti um lixo depois de ter sido usada,você deve se sentir também por estar sozinho e estar se tornando um monstro que não é. Você tem máscaras.. conheci primeiramente a sincera. Depois ela caiu,e vi a máscara fria ... agora a fria caiu,e eu vejo sua face real ( ou não ). STOP! You can be happy. But you like the pain. Who am I to judge you? Who you are hates what you transformed.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Malditos contos de fadas.

Me pego sorrindo quando eu penso que o sapo pode virar príncipe. Mas e se o príncipe virar sapo? Um dia alguém encontrará uma explicação de porque é fácil imaginar coisas que estão longe de acontecer,mas é tão fácil acontecer coisas que pra sempre vamos lembrar. Malditos contos de fadas. Malditos sejam! Eu tive infancia e acreditei nessas baboseiras todas,e agora que eu cresci vi que não existe nada disso. Existe uma parte dessas histórias: os lobos,as madrastas,as irmãs feias,as maçãs envenenadas... ah,essas maçãs! Outros objetos na nossa realidade se tornam a maçã envenenada. Contos de fadas,contos. Contos são coisas que o povo conta. Que tal criar uma história qualquer e sair contando por ae pra ver se vira conto? Acho que é isso que eu vou fazer. Mas dessa vez vai ser um conto real. Uma realidade cruel,para que meus filhos saibam o que realmente acontece. E aí sim,o fim: E viveram lutando para sempre.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Qual caminho escolher?


Sendo que qualquer um dos dois,vai me levar a você? Eu não consigo pensar em outra possibilidade,uma coisa boa pra acontecer. As pedras em meu caminho são como você em mim : me incomodam,mas são necessárias. Em alguns momentos você me atormenta,você me mata,você me machuca. Mas eu preciso de você,apesar de todos os danos,apesar de todas as noites mal dormidas,apesar da sua existência. Eu nunca pedi pra você não existir,porque com isso eu consequentemente também não existiria .. e pra onde iria todo esse amor? O fato é : eu não sei qual caminho escolher. Um pouco de mim,ou um pouco de você? Eu tenho medo de me sentir feliz pela derrote de dois corações. Sim,eu me sinto egoísta. Estou sendo egoísta por querer apenas a minha felicidade. Mas eu sou como qualquer um ser humano: busco meus ideais. É tolamente tolo dizer isso,mas é. Desculpe,mas eu não sei qual caminho seguir. Eu acho que eu quero seguir o mesmo que você.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010


hm,eu cansei. é,cansei. toda vez que eu penso que pode ser diferente,acontece algo e BUM! aonde está tudo? Digo isso não só para o amor,mas o geral. Hoje mesmo eu estou triste. acordei com sensaçãoes ruins,e agora sim,agora eu sei o porque dessas sensações ruins: mais um investimento jogado fora. é,nem é bom isso. Não é bom chorar,esperando que alguém seque suas lágrimas,porque isso não vai acontecer. Quem seca,é o tempo,ou o vento. Choro,mas sei que não adianta. Mas qual seria a outra forma de soltar o que sinto? escrever ... nem encontro mais palavras,e tudo está se tornando muito clichê.

sábado, 9 de janeiro de 2010


Já viu algo acabar assim tão de repente? como as gotas da chuva escorregam em galhos,lágrimas correm pelos rostos,e nunca mais palavras são trocadas. é como o chão molhado depois de uma tempestade ... podemos escorregar a qualquer momento.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

nem que eu quisesse isso daria certo. garoto de fases,sem pensamento. reflexivo,inocente,e destrutivo. e me revolto em pensar que acreditei em suas palavras. é,eu acreditei. mas foram palavras levianas,é. enquanto você procura saber o que fez,eu te mostro tudo o que deveria ter feito.

domingo, 3 de janeiro de 2010


Feridas difíceis de curar. Parece que eu não tenho plaquetas interiores suficiente para coagular todos esses ferimentos. Vá sem mim,vá mesmo assim. Saudades profundas fazem sangue jorrar,pulsos pulsarem,e vidas se acabarem. Eu não serei mais uma dessas vidas,não,eu não serei. Acredito que nossos pensamentos tem um poder maior do que os nossos atos,então vou pensar tudo sim: vou te esquecer,vou ser feliz,e vou ter pessoas que me querem bem. Não,você não é o centro do mundo,e nem eu. na verdade,ninguém é. acho que o centro do mundo,só existe no sentido literal. você não serve como o sentido literal de coisa alguma,nem eu. só a dor pode ser usada no sentido literal. talvez só eu entenda o significado disso,ou não. não gosto de usar tantas palavras pra te fazer entender,mas é que sempre você precisa de explicações mínimas para a total compreensão do que é o que. sempre foi assim,mas deve ter mudado. mudou como tudo em você mudou,como todas as coisas mudaram,como seu humor,que de mediano foi para um abismo. aonde está a pessoa que eu conheço? eu queria saber. talvez ela não existe mais. eu digo isso,porque quem cravou essa ferida em mim,não é quem eu conheço. quem eu conheço,quem eu amo,estaria do meu lado,e tentaria ver o que me favoreceria. aliás,você já pensou que isso poderia acontecer? como você disse,nunca viu nada durar. agora você vai ver,porque eu vou te mostrar. a minha dor vai durar.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Incontrolável.


vontade violenta de te ajudar. vontade violenta de poder tomar a sua dor,de nunca deixar ninguém ferir teus sentimentos. queria poder tirar você desse sufoco,ou então ser um amoleto da sorte que realmente desse sorte,e não mais uma lembrança em sua cabeça,ou então uma pessoa que você sabe que está com você. eu queria realmente poder fazer a diferença,e não poder dar só alguns conselhos. te dar mais do que palavras,e coisas semelhantes.
eu queria esfregar a cara de todos esses sacripantas no asfalto,desfigurar todos eles,e fazer você sorrir. é,eu queria,mas infelizmente eu morreria se fizesse isso rs. eu pra sempre vou lembrar daquele dia em que tudo foi fácil pra gente,é,eu vou. foi um dia bom,é. mas eu prometo que vou colaborar como puder pra que voltemos a sorrir de novo,com a mesma intensidade. eu prometo que sempre que eu puder fazer algo,farei. te amo,razy ♥