terça-feira, 30 de março de 2010

São estranhas situações em que sinto que sou composta por medos. Eu já tentei procurar explicações, mas simplesmente isso acontece. Não tem um porquê, só posso entender que isso tem que acontecer. Palavras esquecidas de serem ditas, coisas deixadas para trás... são coisas tão normais. Normais demais para causarem tanto sofrimento, tantas dúvidas. É só tentar imaginar como teria sido, se tivessem sido proferidas as tais palavras. Diferente? Talvez, ou com certeza não. O problema, ou podemos encarar como fato, é que se tivéssemos oportunidade de fazer tudo de novo, talvez pouca coisa mudasse, ou então poderia ser pior. Quem sabe? Já passou, é verdade. E nos dias de chuva, quando eu observo todas aquelas gotas caindo e indo embora, eu imagino você: se foi do mesmo jeito que chegou.. de repente. Pode voltar depois, mas nunca vai ser o mesmo. Posso conhecer milhões de pessoas com seus aspectos físicos,  mas saiba que nenhuma se compara à você. Algo que te consome, que não te deixa voltar a ser, algo que te conhece o bastante, alguém que te prende, e eu que te soltei demais. Voou, foi embora. E agora? Não é tão simples como o que você me disse, não é tão insignificante como sou pra você. Eu só queria entender, mas eu já desisti.Desisti de compreender, mas não de você. Quem sabe um dia? Nem todas as lágrimas do mundo farão você voltar, nem você mudar. Chorar é supérfulo, é infantil. A verdade sempre esteve bem abaixo dos meus olhos, e eu nunca vi. E agora você pode estar se culpando, ou apenas com dó. Odeio essa maneira de agir, odeio quando você me lembra o quanto é importante pra mim. Eu errei também, eu sei. Mas o que seria de mim sem as lembranças? Pelo menos tive você por um dia, quase dois. Metade do dia, soube da notícia. O fim é o recomeço, eu sei. Mas e se o nosso recomeço estiver todo incorreto? Vai ser difícil reconstruir tudo de novo. Eu já cansei de negar esse meu querer, eu já cansei de estar esquecida. Tento estar sempre presente, mas o silêncio está me consumindo, e a cada dia que passo só vejo você mais forte, como se o mundo girasse em torno de você. Eu sei que já tentei te procurar em outras pessoas, mas nunca encontrei. Esse sentimento me corroe já fazem 6 meses. Metade de um ano pensando em possíveis sentimentos, possíveis momentos. Estou em ruínas, e meus sentimentos estão quase acabando. Sim, meus sentimentos por mim mesma, pois quando olho no espelho, eu me odeio, eu me odeio. Você me dava segurança, dizia pra mim não ter medo de errar, me dava coragem. Eu era tão segura quando sabia que poderia ter você, mas agora não. A segurança acabou, o medo me consumiu, e agora vivo com medo de errar. Errar com você, errar sem você.. agora tanto faz!

domingo, 28 de março de 2010

Sem volta, sem saída.

eu sei que esse caminho não tem volta e não tem fim, e sei que estou longe de te alcançar. como eu, sei que você sente vontade de fugir de tudo, fugir do mundo e ficar só com as lembranças.. como você me disse um dia, ter memória é não ter paz. hoje eu sei o significado dessa frase, e de muitas que você me dizia. essa dor deve rasgar você, e eu sei disso. atrás do seu rosto, existe uma expressão dolorosa, e sei que você daria tudo pra ter sua vida 'normal' de volta. eu queria tomar sua dor, e fazer tudo ficar bem. apesar de todas as coisas que você me fez, eu sei que dentro de você ainda existe a pessoa que um dia eu conheci, e sei que se você pudesse consertar, consertaria todos os erros. mas vamos ser realistas, e pensar no possível. o que é o possível? correr em um dia de chuva, ou vir conversar comigo. sim, não, talvez. passe por cima do seu orgulho, e tente não errar mais ainda. Nunca é tarde demais.. Nunca é tarde demais quando você gosta de uma pessoa, e sente demais pra deixa-la ir embora. uma vez eu te disse que iria embora da sua vida, mas eu nunca fui, eu sempre estive aqui... e ainda estou, como no dia 15 de agosto de 2008. estou mais presente do que você imagina, e ainda sinto alguma coisa que não me deixa partir. algo que me diz que você precisa de mim. às vezes as lembranças do que um dia foi bom me sufocam, e eu não aguento mais ficar presa nisso tudo. Isso não tem volta, não tem saída.. e minha vontade como sempre foi, é de correr para um lugar em que não existe nada, além de você . <3

segunda-feira, 22 de março de 2010

Abismo.

Como diz Ana Carolina ... me vejo andar no ar, lá no abismo lindo no seu olhar ♪♫
Como é que eu posso ignorar um olhar tão profundo, onde eu me perco ao observar? não sei, não sei. Terrível dilema, fico perdida, me sinto como um jazido... esquecida, fria e solitária. e essa vontade incontrolável de te ver, de te abraçar? mas é difícil entender o porque quando sonho com você tenho vontade de fugir. é complicado, é surreal. tenho medo de tudo isso não ser normal.