sexta-feira, 30 de março de 2012

Coisas que me lembram você:

1- insônia
2- sorrisos
3- pizza
4- bmth
5- microfone
6- meu sofá com dois lugares
7- videogame
8- quase tudo.

Está vendo como seria difícil ter que te esquecer? Então, por favor, não vá.

eu já passei por tantas coisas, já conheci tantas pessoas que pareciam ser maravilhosas e no fundo descobri que eram babacas. Até que um dia a história foi o contrário, e me senti babaca por um bom tempo… Por ter feito alguém chorar. Não que eu nunca tenha tido vontade de dar o troco pro mundo, pelo tão alto preço que me fez pagar. Mas o que me incriminava era: a tal pessoa não tinha culpa.
Então levantei, me limpei, prendi o cabelo, vesti todas as minhas armaduras e mantive a cabeça erguida. Quebrei a cara por mais algumas vezes, e acredito muito que tudo isso tenha acontecido como algum tipo de castigo, algo predestinado
para mim.
Eis eu aqui, boba, sorridente e encantada… A cada dia que passa por um ser que eu jamais pensei que iria conhecer profundamente, ou ao menos tentar ficar perto, já que sua imagem perante meus olhos já não eram lá das melhores.  Tudo bem, o mundo dá muitas voltas, e agora de madrugada -como em muitas outras que passei em claro durante esse 1 mês- fico pensando se alguma coisa realmente aconteceu, ou se é coisa da minha cabeça.
Um milhão de dúvidas me assaltam, e eu fico apreensiva. Mas puta merda, como é possível tudo mudar assim que o meu celular toca e é você? Sinto um pingo de raiva por eu mesma, por não saber controlar, por não saber me calar nas horas mais certas, ou mais apropriadas. Estou confusa, só sei que isso é bom.
Quem nunca sentiu medo, a ponto de se arriscar para descobrir onde se pode chegar? <3

Eu não serei hipócrita a ponto de dizer que nunca magoei alguém. Magoei muitas pessoas, mas agora já paguei tudo o que tinha que pagar. Estou aqui, pensando em algum outro motivo para não me dar a chance de ser feliz, de tentar não dizer ”não” à eu mesma, de sorrir sem medo. Você me deu isso, está me animando outra vez. 
Mentiria descontroladamente se eu dissesse que não estou gostando disso, e de que não sinto nada ao ouvir a sua voz, ou esperar pela tua chegada nos nossos encontros. É claro que sinto, sinto muito. Mas o que sinto? Ansiedade, talvez. Eu ainda não sei ao certo o que sinto, nunca senti isso antes… Nunca mesmo. E não importa se você já sentiu algo assim também, ou está sentindo. Eu hoje mesmo disse que viverei por mim.
A espera pelos resultados positivos me sacode, é claro. Quem é o ser humano que não espera ansiosamente pela certeza de um sentimento correspondido? A certeza é o sentimento mais delicioso que existe, na minha opinião. Estou sorrindo nesse momento, esperando os tantos resultados por tudo o que estou plantando. Sempre me disseram: Plante com amor, pois assim, não colherás a dor. Acho que é o que exatamente estou fazendo, pois tudo o que realizo com você -palavras, carinhos, beijos, sonhos- são de fonte mais pura do que tudo o que já existiu vindo de mim.
Vamos sorrir, e que por favor, o seu sorriso esteja junto ao meu. Não peço muito, apenas a sinceridade… A tua voz, e o teu olhar. Nada me faz querer desistir, nem esquecer de todas as boas sensações que você provoca em mim, mesmo em tão pouco tempo. Será que você pode sentir isso? Eu espero que sim, e isso se reforce quando você lê a minha cartinha tosca, porém, de coração.
Palavras, apenas. Muitas palavras embaralhadas, as tais que foram escritas às 3 a.m. Pedi pra você ler bem longe de mim… E assim o fez. Apesar do meu pedido, eu gostaria muito de te observar enquanto lia, e saber se realmente gostou. Mas tudo bem, tem coisas que nunca iremos saber! Me sinto feliz por ter atendido ao meu pedido… Poupou bochechas coradas, um coração amedrontado e pernas trêmulas.
Você não sabe o quanto eu esperei… E sabe muito menos o quanto eu quero que isso dê certo. E finalmente, desde o começo, ter um real motivo pra sorrir <3

sábado, 24 de março de 2012

me perco no meio desse barulho todo, e fico perdida sem a tua voz. é ridícula a maneira como me apeguei a uma pessoa tão rapidamente, é como se você fosse meu. Essa felicidade é uma maldição, só que não tão duradoura quanto a saudade. Perdidamente tento focalizar qualquer outra coisa, ler um artigo, ler um livro, abrir os olhos ou apenas não sonhar... Mas ai lembro do que foi no meio da semana, sair correndo pra te ver, não importava o lugar e nem que horas são. Imagens sem nexo, enquanto eu apenas queria me perder em você. Se a morte chegasse, eu iria feliz, e com uma história feliz para contar. É incrível a capacidade que tenho de me conectar a você, mas quando isso se trata de outra pessoa, é um desastre.
Infeliz destino que me insiste em afastar por alguns dias... Isso aqui me mata. 
Você algum dia soube o que é passar a semana toda não vendo a hora de chegar o dia que você vai encontrar os braços nos quais se sente tão seguro? Eu sinto isso toda semana, em tão pouco tempo... Droga.
E eu que pensei que demoraria pra cair numa armadilha psicológica dessa de novo, espero ansiosamente pelo momento em que meu celular irá tocar, e terei notícias... Desmistificando todos os meus pesadelos, tudo de ruim que só de pensar que poderia acontecer com você, me parte o coração.

sábado, 17 de março de 2012

Auto-controle.

E por fim, parar de ser tonta.
Parar de rir a toa.
Parar de fazer muita coisa que eu voltei a fazer.
Chega.

Eu disse CHEGA.


quinta-feira, 15 de março de 2012

Again, again and again.

e eu me lembro como se fosse ontem de todas os meus pedidos para que aparecesse alguém super-tudodebom na minha vida. Okay, achei um bilhão de pessoas que me faziam rir, mas não SORRIR de verdade. Aquele sorriso profundo e intenso, que brota logo pela manhã, e não morre nem durante o sono. Passou um tempão pra eu descobrir o que era um sorriso de verdade, e quando eu menos esperei, o mesmo se despedaçou em mil e uma partículas irrecuperáveis. E o que faria naquele momento? Já que os cacos eu não poderia juntar, resolvi esperar regenerar tudo de novo. Esperei um longo tempo, ou talvez nem tão longo assim... Ainda sou jovem demais pra saber o que é tempo demais no sentido literal de todas as coisas complexas da vida. Só sei que quando me entrego, só sei fazer isso por inteiro. Não existe metade amor, metade carinho, metade amizade, metade beijo, e muito menos metade vontade. A minha vontade era inteira (ou até onde sei, é) de ter alguém não só pra sair nos fins de semana, ou apenas pra receber um bom dia, beijar de mil e uma maneiras engraçadas, trazer em casa pra rir das gafes dos meus pais... É alguém para todos os momentos. Aqueles momentos desgraçados, quando tudo o que você precisa é gritar, xingar, até explodir... Mas com alguém ali pra ouvir, e te acalmar. É, tem horas que nem todos os amigos do mundo podem satisfazer tais coisas. É, sempre chega uma hora que você encontra algo em alguém, que te faz sentir completo, que te faz sentir feliz... E quando está perto de alguém estranho a esses costumes, nada disso tem valor. É como eu que comecei tudo com uma ligação, ouvindo sua voz e te conhecendo por acontecimentos onde eu não estava presente, porém, sabia da sua existência. E você, será que um dia imaginou, ou apenas quis conhecer alguém como eu? Porque pensando bem, estávamos um do lado do outro, mas nunca percebemos isso antes de um empurrãozinho. Tudo bem, agora já sabemos da existência um do outro, tanto que... Não sei o que ando sentindo. Porque ando meio boba, meio estranha e meio sorridente. Afinal, qual o significado de tudo isso? Conhecer uma pessoa e em menos tempo do que seu raciocínio pode acompanhar, ela se tornar essencial na sua vida? Gostar de ouvir a voz de outrém, e esperar uma ligação como se não houvesse o amanhã, e não existisse outra pessoa que pudesse te ligar? Posso ouvir um milhão de vozes ao meu redor, acordar no meio da noite... Mas ultimamente meu dia só está começando depois de ouvir a sua voz, mesmo que for pra ficar sem ter o que falar, mas só o fato de saber que é você do outro lado da linha com as vozes mais estranhas do mundo, e um oi interminável. Consegue me arrancar sorrisos até nos dias mais cansativos e toscos, sem maiores esforços. Então fico sem tempo pra tudo, e o pouco ócio que tenho uso para pensar em você, e como poderia ser se nossas vidas realmente caminhassem na mesma direção daqui há algum tempo. Sinto a constante necessidade de não pensar dessa forma, já que sempre crio expectativas, e no fim,tudo se vai. Peço que fique o tempo necessário para perceber, ou me fazer entender que nada é em vão. Enquanto isso, lembro dos poucos dias que passamos, como se sua voz narrasse todos os fatos em minha mente. Again, again and again.