sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A única coisa que consigo ver é você. Oh, Deus... Por que tão cega? Me deixei levar, mais uma vez. Insisti no erro pra tentar mais uma vez, obrigado ao descaso! Vou aprender também. Eu só sei que hoje me olhei no espelho após ler algo que me abalou mais do que deveria, e me senti vazia por alguns instantes. O meu olhar não era o mesmo, meus olhos estavam imersos. Decepção? Não, jamais. Você nunca provocou isso em mim. Eu estou feliz desde que te encontrei, mas a tristeza que hoje me atacou foi outra...
Eu sou extremamente insegura, ciumenta e tudo mais. Isso é normal. EU SOU UMA PESSOA NORMAL! Você pode sentir isso também, se quiser. Talvez não sinta, pois só eu tenho pressa; Mas por trás de toda pressa está o medo da perda, o medo do mundo girar rápido e só a minha vida não sair do lugar.
Por trás de toda a insegurança, há uma pessoa fria, que eu não quero revelar. É engraçado como você consegue provocar inúmeras sensações totalmente diferentes dentro de mim, e me fazer rir até nas piores horas. Mas hoje não consegui sorrir, estou dominada por um sentimento que nem eu sei o que é. E eu que pensei dias atrás ter sentido algo estranho, aquela sensação de dias atrás virou pó diante do que veio a tona hoje. Talvez seja só mais uma onda de más vibrações. Que isso passe, ou não sei quantas palavras mais irei conseguir conter. Eu tenho um caminhão cheia delas, e todas estão detidas pelo meu senso. Mas coração e senso não combinam, e por motivos de super lotação eu já despejei algumas palavrinhas, as quais eu acho que você não gostou muito de ouvir. Mas é sempre assim, eu acabo saindo fora do controle. Eu não aprendi a não me expressar, então me desculpe se falo demais. Eu já te pedi desculpas uma porções de vezes, mas eu nunca recebi uma resposta que me satisfaça por completo. Toda vez elaboro tudo de um jeito simples de entender, algo que não magoe nenhum dos lados... Mas dá certo? Minhas mãos parecem uma fonte, meu estomago é esmurrado, e minha cabeça sofre constantes colisões.

Ao mesmo tempo que me encanta, me enlouquece. E de alguma forma, ainda desconhecida por mim, me faz amar tudo isso.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Eu não posso te recompor, é verdade. Mas e se eu tentasse? Seria mais um desafio, o qual eu aceitaria de peito aberto. Mas não posso fazer isso quando a vontade de ser feliz não vem de você. Como vou deixar meu medo, se você não deixa o seu? São realmente muitas perguntas. Substituir você é possível, aproveito que ainda é cedo. Mas quando penso em como foi espontâneo nosso encontro e o quanto tem me feito feliz,  é triste pensar em uma coisa do tipo.
Opiniões formadas começam a me atacar, frases desajustadas, músicas que me transportam para todos os dias que eu te vi. Mas por que mesmo estou focalizando isso, como se fosse o único objetivo da minha vida? Porque escrever no papel não basta, ensaiar no espelho muito menos, a vontade de mudar tudo me domina. Calada eu tento planejar alguma coisa, mas logo eu sinto a necessidade de te contar tudo o que me passa pela cabeça, e então começa a tempestade outra vez. O céu hoje demonstrou como estou, e a chuva é só mais um sinal do que está por vir: muita água ainda vai rolar. Não que eu queira que essa tal água escorra pela minha face, ou pela sua. Nenhum dos dois merece isso. Tem coisas que eu não consigo esquecer, e eu sei que pra você também não é fácil.
Mas se a vida acaba a cada segundo, por que não gastá-los de maneira irracional às vezes? Sentir qualquer coisa já é tal ato. E então por que não desperdiçar cada segundo tentando? Lutar nunca foi demais, e nunca será. E ao fechar aos olhos, me transporto para o momento em que eu pensei que jamais alguma coisa aconteceria entre dois corpos que se encontraram tão inesperadamente.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Não seria tola a ponto de implorar, e nem tão forte em não tentar. Ando feliz, é verdade. Que saudades de dias assim. Talvez um dia, finalmente, eu entregue aquela carta pra você. Talvez quando você voltar de onde você ainda nem foi. Eu sinto a necessidade de te ver,abraçar e sentir tudo o que só é estimulado por você, no momento. Eu preciso parar de contar o tempo, talvez ele seja quem destrói todas as minhas lembranças e                     possibilidade de felicidade.

2, 2, 8 e 29 <3 div="div">

E não importam quantos meses façam, te sinto mais próximo a cada dia.