terça-feira, 9 de junho de 2015

Te miro, disfarço, faz parte...

Fecho meus olhos e me transporto pra não muito longe, até porque sei que está sempre por perto... Na minha imaginação. Eu tenho mil motivos para achar isso, mas ao mesmo tempo acredito que é tudo ilusão. Acreditar em ilusões talvez seja bem pior do que pensei.
Dúvidas tem me cercado e me sequestrado pra bem longe de você, mas não me questione os motivos, nunca questionei os seus. Acredito que nunca tenha questionado, apenas cuspi verdades em meio a lágrimas nos seus braços naquele dia frio, naquela estação... Tanto faz detalhar agora, ou não. Você nunca questionou por não ter interesse, e eu nunca questionei pra não te afastar. Ah se eu soubesse que mesmo ocultando meus mil motivos e dúvidas, você iria pra bem longe do meu mundo! Eu queria continuar acreditando nas ilusões.
Tudo está tão diferente, mas o mesmo tempo tão igual. Os meses que chegam, vem com a mesma vontade de te ver nos finais de semana, e de conversar com você a cada manhã... Conto também com o "boa noite" que não chega mais até mim. Vontade não me falta, mas eu não suportaria te questionar e talvez afastar ainda mais, se é que ainda é possível. Poderia ser diferente, mas diferente pro melhor... E não diferentes como estranhos que somos agora. Quem me dera poder gritar todas as ilusões nas quais um dia me baseei, só pra tentar ser mais feliz, pra estar perto de você.
Te miro, disfarço com medo do meu olhar encontrar o seu, mas no fundo sei que faz parte. O medo desse encontro de olhares é desenterrar um passado não tão distante que ainda pulsa com toda a vontade de sermos juntos o que o destino se encarregou de impedir.