terça-feira, 25 de setembro de 2012

Tudo o que se foi

Se um dia eu  disse que você era tudo o que eu poderia querer,  hoje já não penso da mesma forma. Eu criei um mundo de papel, um oceano de esperanças e um céu de cores falsas. O que ontem era um par, hoje     não passa de um de cada lado, isolados e sem notícias. Eu até que sinto interesse em saber algumas coisas sobre você, por exemplo, se continua se alimentando pessimamente, e se ela tem as mesmas manias de ''mãezona'' só por querer te ver bem. Noite ou outra, acordo de sonhos que eu sei que não deveriam existir. É, eu sei que isso tudo passou, e eu não deveria me importar. Cada vez que eu penso em você, perco a chance de me desapegar e deixar tudo isso para trás. Até onde tudo isso vai, não faço ideia. Talvez um dia quando nos encontrarmos por aí, cheios de marcas do tempo e aprendizados durante a vida, todos esses acontecimentos façam sentido... E essa saudade passe. Uma confissão: no momento nada passa de um quebra-cabeça faltando 2 peças: motivo e razão. Traga de volta o meu sorriso, mas por favor, vá embora logo em seguida. Só devolva o que é meu: a expressão serena, e nada mais. Você nunca me pertenceu.