quarta-feira, 8 de abril de 2015

Há um tempo danço só.

Não sei como me sentir, não sei muito bem o que pensar. Fazem vários dias que estou fora de órbita, meio que só vendo o tempo passar: tudo no piloto automático. Minha vida tá me levando, e eu nunca pensei conseguir deixar isso acontecer, já que eu sempre tentei ter o controle de tudo (e muitas vezes, o descontrole).  Eu realmente preciso deixar você ir embora com os dias?

Vamos partir pro meu mundinho de possibilidades que não quer me abandonar: e se você resolvesse ficar pra valer na minha vida, e eu não precisasse ir embora daqui? Isso sim seria um grande alívio... Ficarmos parados em relação a isso não seria uma loucura, talvez. E se tentássemos? E se eu esperasse pela "grande mudança"? São tantos os meus planos quando penso nesses meus desejos se tornando realidade. Será que você consegue ver? Eu olho pra um local fixo por minutos, tudo fica confuso, e eu percebo que nem eu posso ver ou imaginar tudo isso se tornando real. Ilusões, e nada mais que isso. Hoje comecei a perceber que fixar o olhar e pensar em tudo isso, é o mesmo que olhar pra um foco de luz que pode me cegar...E eu não posso exigir o mesmo de você.

A verdade é que há um bom tempo eu danço só, eu ando só, eu divido as minhas coisas comigo.  Egoísmo? Não, é apenas rejeição. A partir do momento em que percebi estar provocando coisas ruins, precisei entender que nem tudo poderia continuar girando em torno do meu mundo de possibilidades e otimismo: as pessoas pensam diferente de você, Gray. E por mais que tudo o que eu fazia tivesse as melhores das intenções, não servia pra quem você tanto tentava oferecer: as pessoas tem necessidades e vontades diferentes, Gray. Dá pra entender? Sim, só não quero aceitar. Eu fiz de tudo um pouco, tentei tanto, e olha só agora: dançando sozinha a música da vida, e em breve seguindo um rumo oposto ao que eu geralmente ia... Eu tô indo pro outro lado, virando as costas e partindo em breve. E o que você pensa a respeito disso tudo? Eu só queria saber se um dia a saudade vai existir ai do outro lado, porque aqui antes mesmo do adeus ela já tomou o seu lugar.