sexta-feira, 30 de abril de 2010

São estranhas situações em que sinto que sou composta por medos. Eu já tentei procurar explicações, mas simplesmente isso acontece. Não tem um porquê, só posso entender que isso tem que acontecer. Palavras esquecidas de serem ditas, coisas deixadas para trás... são coisas tão normais. Normais demais para causarem tanto sofrimento, tantas dúvidas. É só tentar imaginar como teria sido, se tivessem sido proferidas as tais palavras. Diferente? Talvez, ou com certeza não. O problema, ou podemos encarar como fato, é que se tivéssemos oportunidade de fazer tudo de novo, talvez pouca coisa mudasse, ou então poderia ser pior. Quem sabe? Já passou, é verdade. E nos dias de chuva, quando eu observo todas aquelas gotas caindo e indo embora, eu imagino você: se foi do mesmo jeito que chegou.. de repente. Pode voltar depois, mas nunca vai ser o mesmo. Posso conhecer milhões de pessoas com seus aspectos físicos,  mas saiba que nenhuma se compara à você. Algo que te consome, que não te deixa voltar a ser, algo que te conhece o bastante, alguém que te prende, e eu que te soltei demais. Voou, foi embora. E agora? Não é tão simples como o que você me disse, não é tão insignificante como sou pra você. Eu só queria entender, mas eu já desisti.Desisti de compreender, mas não de você. Quem sabe um dia? Nem todas as lágrimas do mundo farão você voltar, nem você mudar. Chorar é supérfulo, é infantil. A verdade sempre esteve bem abaixo dos meus olhos, e eu nunca vi. E agora você pode estar se culpando, ou apenas com dó. Odeio essa maneira de agir, odeio quando você me lembra o quanto é importante pra mim. Eu errei também, eu sei. Mas o que seria de mim sem as lembranças? Pelo menos tive você por um dia, quase dois. Metade do dia, soube da notícia. O fim é o recomeço, eu sei. Mas e se o nosso recomeço estiver todo incorreto? Vai ser difícil reconstruir tudo de novo. Eu já cansei de negar esse meu querer, eu já cansei de estar esquecida. Tento estar sempre presente, mas o silêncio está me consumindo, e a cada dia que passo só vejo você mais forte, como se o mundo girasse em torno de você. Eu sei que já tentei te procurar em outras pessoas, mas nunca encontrei. Esse sentimento me corroe já fazem 6 meses. Metade de um ano pensando em possíveis sentimentos, possíveis momentos. Estou em ruínas, e meus sentimentos estão quase acabando. Sim, meus sentimentos por mim mesma, pois quando olho no espelho, eu me odeio, eu me odeio. Você me dava segurança, dizia pra mim não ter medo de errar, me dava coragem. Eu era tão segura quando sabia que poderia ter você, mas agora não. A segurança acabou, o medo me consumiu, e agora vivo com medo de errar. Errar com você, errar sem você.. agora tanto faz!

Falar de amor.

Ultimamente tenho pensado demais em você, pensado em muitas possibilidades. Ter a certeza de um possível caminho feliz, seria um conforto.. SERIA, mas não é, pois não tenho certeza nenhuma, nem sinal algum!
Eu juro que tentei, mas agora é minha hora de parar e refletir.. tudo isso realmente valeu a pena? Por vezes penso que sim, por vezes não. Nem sempre é fácil aceitar e conviver com a dor. Eu confesso que em muitas ocasiões eu quis fugir, eu quis tentar esquecer de tudo o que eu sentia, tudo que eu tentava realizar.. mas era sempre em vão, pois sabia que nada além do tempo poderia me salvar daquela situação interminável. Agora posso ver que isso é inalcançável, que o problema não era eu, nem era você. Nascemos no tempo certo, mas nos conhecemos do modo incorreto, e isso posso ver com clareza. Nada dura para sempre, porque o pra sempre nunca existiu. Não existe nada tão duradouro quanto um pensamento, quanto uma lembrança. Se for amor, não vou esquecer. Se for tristeza, alguém vai curar. Se for o tempo? Longas voltas! Adeus.

sábado, 24 de abril de 2010

Pode ser assim ♪♫


eu queria esquecer, ou apenas não mais lembrar. Um dia eu quis ir embora,e nunca mais voltar.. mas quando pensei que não a saudade me deixou falhar . o tempo está passando e eu estou vendo pouca coisa mudar, diferente do que as minhas expectativas tentavam me convencer. Já se passaram vários meses.. fazem 7 meses desde tudo, e só mudou pra pior. não vai mudar, agora eu tenho certeza. As minhas esperanças definitivamente acabaram-se, como o amor que eu sentia. simples cadeiras quebradas, ou palavras cuspidas não adiantam nada, não vai mudar o que um dia foi nosso. mas nada é pra sempre.. e hoje eu vejo muitas coisas, inclusive suas mentiras. como pôde me deixar assim? apesar de ser fácil pra você. Mas pra mim não foi, não é.. mas não parei, o mundo não parou. não tem mais graça COM você ;

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Aparências

Uma composição minha.

Aparências - Gray.

É estranho como tudo muda a cada segundo
Sinto mais um coração bater, ou isso é psicológico?
Eu não sei o que posso sentir,
Eu só sei que é muito real

Não dá mais, estou perdendo o controle
Não posso ignorar esse meu estado
Há algo dentro de mim,
Que nunca me deixou desistir

E tantas vezes eu tentei deixar..
Deixar o tempo te apagar
Mas parece que essas marcas são profundas demais
E difícieis de serem ignoradas

Quando tudo parecia estar bem
Quando não parecia ter mais ninguém
Além de você, além de você...
Agora não posso mais, agora não vou mais

Deixar de existir e perder
Deixar, desistir e esquecer
O que fazer?
Eu não sei, eu não sei
Faça o melhor que puder.. desaparecer.

<3

sábado, 17 de abril de 2010

Longe.

são tantas dúvidas,expectativas e deciões a tomar. Sinto como se estivesse em cárcere privado, ou então em um quarto branco de um manicomico. São tão estranhas sensações, loucuras, gritos à flor da pele. Histeria à beira da morte, cobranças sem fim. Quando não tenho nada, parece que perdi tudo.. ou então o contrário. uma canção rabiscada, um corpo estirado, ou alguém muito doente. Alguns neurônios mortos aqui, outros alí. Isso não significa nada, porque o mais importante é se dopar. Dores intermináveis, escândalos, gritos de socorro. Clamando o mais forte que pode, querendo o que ninguém no mundo nunca teve. A paz. Sim, eu sei que você quer a paz. Mas está tudo morto, que só resta o silêncio.. e o que eram os barulhos intermináveis e de intensa euforia, agora são apenas suspiros, lágrimas e sangue. Minha alma já me abandonou, não sei porque ainda estou aqui.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sua carência, minha ruína.

Como soa o som que eu insisto em escutar, o som que me traz recordações, lembranças de você  ' sua carência, minha ruína ' ♪♫
sim, quando você necessita de apoio, eu estou lá. Quando precisa de carinho, tento fazer o que posso. E quando chora? sou tuas lágrimas. mas o que posso fazer se quando te apoio, eu me prejudico? isso não é mútuo.. como deveria ser. às vezes soa estranho, às vezes lembra pranto. é anormal e irreal, pelo menos nos meus sonhos. Tensões atacam minha gargante, amedrontam meu olhar, e meus pulsos.. quase não mais identificáveis. É demasiado cansativo lutar contra tudo isso, lutar contra algo/alguém que eu sei que é invencível. Mas eu tento, pra derrota ser menor, pois no fim, eu terei a dignidade de dizer: '' Eu tentei! "
ah, como eu queria te fazer enxergar o que eu sinto, e muito mais! Mas você se nega a ver. Eu sinto sua falta, e confesso que preciso de você. Volta? Se é que um dia veio..

sábado, 3 de abril de 2010

eu nunca senti tanta falta de alguém. eu nunca me senti tão perdida. eu nunca me senti assim.. eu nunca fui eu mesma! o amor não é a única coisa da vida, assim como não é o único sentimento que traz desgosto. Algumas coisas não se encaixam mais, e algumas coisas que já passaram não tem importancia. O valor é aplicado às coisas e pessoas que não tem valor algum, e acabamos discriminando o desconhecido. Podemos nos enganar.. eu nunca me senti tão perdida, estou perto de pessoas que eu pensava conhecer. no fundo tão estranhas, assim como essa sua presença nesses ultimos dias. Não faz sentido sem você, mas com você faz menos ainda!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

e a cada dia fica difícil não imaginar como poderia estar agora, com você. ao ouvir essa música, eu me lembro do meu desespero quando soube que te perdi, era como se nada fosse continuar. era como se tudo tivesse acabado naquele momento, e só a dor tivesse restado. parte disso é verdade, só a dor me restou.. mas o mundo ainda gira, você ainda sorri e eu ainda te amo. como se nada mais importasse do que esse fim, do que esse desejo de te ter a cada dia mais, como se nada fosse mais importante do que te fazer feliz. você está feliz, só não me conformo porque não está feliz comigo. eu queria ter tudo o que você precisa, mas ter tudo não basta. se bastasse, tudo que tenho seria pouco demais, comparado ao o que você merece. nunca foi fácil aceitar esse começo do fim.o fim ainda continua, o fim ainda dói. meu pensamento às vezes foge, e me leva até você. e eu que pensei um dia poder esquecer.. Danilo, por que você está em mim, e eu não estou em você? :(