sexta-feira, 16 de agosto de 2013

É bem fácil fugir de um passado nem tão distante quando tem pessoas ao nosso redor com total disposição para ajudar. É claro que em meio a todos os que realmente querem nosso bem (que são poucos), sempre terão os oportunistas e egocêntricos tentando te enganar. Tudo bem, o mundo não é feito só de coisas boas, se não... Como aprenderíamos? Errei bastante, e não fui só eu. Mas quem poderá julgar e apontar todos os errantes? Seria um erro maior ainda. Afinal, o que somos? Seres humanos feitos apenas para viver numa linha reta, ou seguirmos nossa eterna teimosia, no final aprendendo alguma coisa? Eu nunca quis proteção eterna, e sei que ainda há muito o que viver, até porque minha vida está no começo. Já vivi muita coisa, mas tem muito o que acontecer, e não posso desistir ao ver apenas um degrau. Clichê talvez dizer que a vida é uma escada, mas na verdade é. Bom, isso não vem ao caso agora. O fato é que tem sido fácil encarar tudo o que está acontecendo, porque de certa forma me sinto mais forte. Há exatamente uma semana atrás recebi uma daquelas notícias de te tirar do sério, de te fazer tremer de raiva, ou algo do tipo. E então somei isso com mais um pouco, multipliquei pelo estado doentio de uma das pessoas mais importantes da minha vida, e vi que o problema que eu achava que tinha, não é exatamente um problema... E sim um personagem que eu inventei. Porque NÃO, você NÃO existe. Existia só pra mim, mas dei um jeito de desmascarar isso em algum lugar da minha mente. E agora sei que sou feliz vivendo a realidade... A minha realidade.