sexta-feira, 16 de agosto de 2013

É bem fácil fugir de um passado nem tão distante quando tem pessoas ao nosso redor com total disposição para ajudar. É claro que em meio a todos os que realmente querem nosso bem (que são poucos), sempre terão os oportunistas e egocêntricos tentando te enganar. Tudo bem, o mundo não é feito só de coisas boas, se não... Como aprenderíamos? Errei bastante, e não fui só eu. Mas quem poderá julgar e apontar todos os errantes? Seria um erro maior ainda. Afinal, o que somos? Seres humanos feitos apenas para viver numa linha reta, ou seguirmos nossa eterna teimosia, no final aprendendo alguma coisa? Eu nunca quis proteção eterna, e sei que ainda há muito o que viver, até porque minha vida está no começo. Já vivi muita coisa, mas tem muito o que acontecer, e não posso desistir ao ver apenas um degrau. Clichê talvez dizer que a vida é uma escada, mas na verdade é. Bom, isso não vem ao caso agora. O fato é que tem sido fácil encarar tudo o que está acontecendo, porque de certa forma me sinto mais forte. Há exatamente uma semana atrás recebi uma daquelas notícias de te tirar do sério, de te fazer tremer de raiva, ou algo do tipo. E então somei isso com mais um pouco, multipliquei pelo estado doentio de uma das pessoas mais importantes da minha vida, e vi que o problema que eu achava que tinha, não é exatamente um problema... E sim um personagem que eu inventei. Porque NÃO, você NÃO existe. Existia só pra mim, mas dei um jeito de desmascarar isso em algum lugar da minha mente. E agora sei que sou feliz vivendo a realidade... A minha realidade.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

"vazia"

domingo, 14 de julho de 2013

eu vou olhar pro meu celular quantas vezes forem necessárias, até chegar a hora de olhar e aparecer seu nome, e com ele um sorriso no meu rosto. eu vou esperar todos os minutos do mundo pelos seus atrasos, e vou reclamar inúmeras vezes só pra te provocar. Segurarei meu ciúme, até que eu me afogue nesse mar de inseguranças. eu comecei a escrever tudo isso fazem dias e dias, e você acabou ligando... e até não tinha mais me arrependido de olhar pro celular, porque valeu a pena ter esperança. Mas vários dias se passaram, e aqui estou eu de esperanças quebradas.
Enfrentei promessas suas que não foram cumpridas, e essas mesmas só duraram algumas horas. Você pediu paciência, e declarou que iria mudar o seu jeito de lidar com a nossa distância, aparentemente respeitando tudo o que eu sinto. Mas não, você não respeita... Parece algum tipo de pré conceito. Quando conhecemos algo de verdade, e gostamos verdadeiramente de outra pessoa, o que fazemos? Tomo como exemplo minha atitude, que é a de respeitar o espaço, fazer de tudo para não magoá-la e agir de forma neutra em tudo. Mas não é bem o mesmo, mas ainda estou aqui, depois de nossa conversa tão sincera e lágrimas trocadas conseguindo encharcar seu ombro. E de que valeram todas as palavras? Nada. Sabe por que? Palavras a gente esquece, por mais que nos encham de esperanças. Eu me enchi de esperanças, lembro-me das palavras, mas o que mais me tortura são as atitudes (na realidade, a falta delas). A cada vez que repito todas as cenas em minha mente, me perco mais ainda no meu otimismo, deito, fecho os olhos e espero o outro dia chegar... Aliás, nada como um dia após o outro, foi o que dissemos. Mas ultimamente venho apenas vivendo, e tentando manter viva a promessa de que vou lutar por isso até o fim. Mas e ai, até onde vale a pena lutar por algo que você não recebe apoio algum? 'Ela' não é você, mas nós sabemos que é a única maneira de sabermos um do outro. Como diz o som que me preenche de angústia: ''a disposição precisa de apoio''. E eu juro que esse apoio eu desejo que parta de você.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Pela primeira vez na vida eu não sei como expressar minha tristeza. É estranho, não sei se é tristeza... Só sei que me consome. São coisas que eu nunca imaginei, misturadas com coisas que eu já esperava, porém não queria vivenciar nenhuma delas.
Nós dissemos que o tempo dirá.

Um dia virá.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A única coisa que consigo ver é você. Oh, Deus... Por que tão cega? Me deixei levar, mais uma vez. Insisti no erro pra tentar mais uma vez, obrigado ao descaso! Vou aprender também. Eu só sei que hoje me olhei no espelho após ler algo que me abalou mais do que deveria, e me senti vazia por alguns instantes. O meu olhar não era o mesmo, meus olhos estavam imersos. Decepção? Não, jamais. Você nunca provocou isso em mim. Eu estou feliz desde que te encontrei, mas a tristeza que hoje me atacou foi outra...
Eu sou extremamente insegura, ciumenta e tudo mais. Isso é normal. EU SOU UMA PESSOA NORMAL! Você pode sentir isso também, se quiser. Talvez não sinta, pois só eu tenho pressa; Mas por trás de toda pressa está o medo da perda, o medo do mundo girar rápido e só a minha vida não sair do lugar.
Por trás de toda a insegurança, há uma pessoa fria, que eu não quero revelar. É engraçado como você consegue provocar inúmeras sensações totalmente diferentes dentro de mim, e me fazer rir até nas piores horas. Mas hoje não consegui sorrir, estou dominada por um sentimento que nem eu sei o que é. E eu que pensei dias atrás ter sentido algo estranho, aquela sensação de dias atrás virou pó diante do que veio a tona hoje. Talvez seja só mais uma onda de más vibrações. Que isso passe, ou não sei quantas palavras mais irei conseguir conter. Eu tenho um caminhão cheia delas, e todas estão detidas pelo meu senso. Mas coração e senso não combinam, e por motivos de super lotação eu já despejei algumas palavrinhas, as quais eu acho que você não gostou muito de ouvir. Mas é sempre assim, eu acabo saindo fora do controle. Eu não aprendi a não me expressar, então me desculpe se falo demais. Eu já te pedi desculpas uma porções de vezes, mas eu nunca recebi uma resposta que me satisfaça por completo. Toda vez elaboro tudo de um jeito simples de entender, algo que não magoe nenhum dos lados... Mas dá certo? Minhas mãos parecem uma fonte, meu estomago é esmurrado, e minha cabeça sofre constantes colisões.

Ao mesmo tempo que me encanta, me enlouquece. E de alguma forma, ainda desconhecida por mim, me faz amar tudo isso.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Eu não posso te recompor, é verdade. Mas e se eu tentasse? Seria mais um desafio, o qual eu aceitaria de peito aberto. Mas não posso fazer isso quando a vontade de ser feliz não vem de você. Como vou deixar meu medo, se você não deixa o seu? São realmente muitas perguntas. Substituir você é possível, aproveito que ainda é cedo. Mas quando penso em como foi espontâneo nosso encontro e o quanto tem me feito feliz,  é triste pensar em uma coisa do tipo.
Opiniões formadas começam a me atacar, frases desajustadas, músicas que me transportam para todos os dias que eu te vi. Mas por que mesmo estou focalizando isso, como se fosse o único objetivo da minha vida? Porque escrever no papel não basta, ensaiar no espelho muito menos, a vontade de mudar tudo me domina. Calada eu tento planejar alguma coisa, mas logo eu sinto a necessidade de te contar tudo o que me passa pela cabeça, e então começa a tempestade outra vez. O céu hoje demonstrou como estou, e a chuva é só mais um sinal do que está por vir: muita água ainda vai rolar. Não que eu queira que essa tal água escorra pela minha face, ou pela sua. Nenhum dos dois merece isso. Tem coisas que eu não consigo esquecer, e eu sei que pra você também não é fácil.
Mas se a vida acaba a cada segundo, por que não gastá-los de maneira irracional às vezes? Sentir qualquer coisa já é tal ato. E então por que não desperdiçar cada segundo tentando? Lutar nunca foi demais, e nunca será. E ao fechar aos olhos, me transporto para o momento em que eu pensei que jamais alguma coisa aconteceria entre dois corpos que se encontraram tão inesperadamente.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Não seria tola a ponto de implorar, e nem tão forte em não tentar. Ando feliz, é verdade. Que saudades de dias assim. Talvez um dia, finalmente, eu entregue aquela carta pra você. Talvez quando você voltar de onde você ainda nem foi. Eu sinto a necessidade de te ver,abraçar e sentir tudo o que só é estimulado por você, no momento. Eu preciso parar de contar o tempo, talvez ele seja quem destrói todas as minhas lembranças e                     possibilidade de felicidade.

2, 2, 8 e 29 <3 div="div">

E não importam quantos meses façam, te sinto mais próximo a cada dia.