domingo, 3 de janeiro de 2016

Ego-conto: isso é apenas sobre mim

O que saber sobre mim? 
10 de maio, 1994. Não, eu não sei se era uma tarde quente, fria ou chuvosa. Apenas nasci, e trouxe algumas alegrias, e consequentemente, responsabilidades para meus pais.
Nasci pequena, cresci alguns centímetros e aqui estou: 1,52. Cabelos pretos, olhos gigant...
Chega, esse não era o intuito da postagem.

É sobre me conhecer da forma que nem eu me conheço. Aqueles pequenos e meros detalhes que fazem toda a diferença, mas só o outro pode notar. Uma vez, um ex namorado listou 4 manias minhas que ele dizia me tornar única (pelo menos pra ele). Então, vamos lá:

1- a maneira como eu rio quando estou nervosa/com vergonha: parece que alguém está contando piada com uma faca na mão me obrigando a rir. (nunca entendi direito, talvez, um dia façam um vídeo quando perceberem esse meu estado, porque gostaria de verificar) ;

2- comer pizza começando pela borda. "Gray, porque você começa pelo que deveria ser o fim?";

3- os extremos gostos musicais, quando foi notado a presença de Falamansa e Lacuna Coil na mesma playlist;

4- minha coleção de coisas inúteis (tampas de cerveja, papel de bala, canetas vazias, etc).

Não, isso não me faz "diferentona". Cada um tem um ponto de vista sobre cada pessoa que observa. E qual é o meu sobre o meu próprio ser? É que ainda não me descobri. Tenho tantas partes a serem desvendadas, forças a serem medidas e testes de resistência.
Eu sou alguém, disso sei com certeza. Possuo um rg, certidão de nascimento, cadastro de pessoa física e sonhos intermináveis que traçam o meu nome. Eu sou alguém, disso não tenho dúvidas.
Mas quem é esse alguém?
Fica a dúvida.